Seminário sobre Design Thinking

POR EM Inovação em Pauta, Matérias

No dia 13 de abril, na FGV, São Paulo, aconteceu o Seminário sobre Design Thinking com Prof. Clark Kellogg da Haas School of Business/UC Berkeley. O evento foi promovido pelo IBQP, em parceria com o Fórum de Inovação da FGV/EAESP e faz parte do programa Novos Paradigmas para Inovação.

O que é o Programa Novos Paradigmas para Inovação?

Consiste em oficinas, já realizadas em São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte e São Francisco, CA, que utilizaram Metodologia de Cultura para Inovação, do Prof. Clark Kellog, da Universidade Berkeley, com conversações e questionários com stakeholders para mapeamento de ecossistemas de inovação no Brasil e no Vale do Silício.
O objetivo geral da pesquisa é examinar as causas que tem inibido o Brasil de reconhecer seu potencial como líder inovador ou de gerar formulações específicas para os stakeholders de todos os setores inerentes ao processo.
A intenção é contribuir com a criação e sustentabilidade de clima e cultura que permitirão ao Brasil tornar-se um modelo de inovação em escala internacional, por meio da implantação de ecossistemas regionais de inovação de classe mundial.
A metodologia consiste basicamente em avaliar o Vale do Silício e seu ambiente espontaneamente inovador, o qual concentra mais de 40% de todo o capital de risco voltado à inovação nos EUA, e comparar com o Brasil.

O que é o Design Thinking?

Uma metodologia para buscar soluções inovadoras para problemas complexos. Trabalha a criatividade, coloca as pessoas no centro do projeto e prioriza ações colaborativas. Organizações como Apple e Google trabalham com Design Thinking: uma forma de pensar baseada, primeiramente em soluções e não nos problemas.

Como foi o evento?
kellog
O evento reuniu cerca de 50 pessoas, teve a abertura do Prof. Wilson Nobre, membro do Fórum de Inovação, que explicou um pouco sobre como funciona este centro de estudo da EAESP: “Temos olhado para inovação e procurado entender como as organizações inovam e quais os resultado. Pretendemos ampliar as técnicas, os modelos e trazê-los para o século XXI, para a aceleração da inovação em todos seus campos de conhecimento”.
Na sequência, o presidente do Conic (Conselho Superior de Inovação e Competitividade), da FIESP, Rodrigo Loures, deu boas-vindas aos presentes e falou o porque da escolha de Clark Kellog: “ele foi eleito o melhor professor quanto a alavancagem para mudança pensando na sustentabilidade”.
Clark Kellog encantou a plateia com exemplos reais da aplicação da metodologia e diz apostar no Brasil como nação inovadora: “o capitalismo está sendo substituído pelo talentismo e, o Brasil tem muita gente criativa, e penso, que em pouco tempo, será chamado de Brasilnnovation. Estamos trabalhando para isso”.