Projeto Simplificação completa um milhão de ideias

POR EM Inovação em Pauta, Matérias

Programa interno de sugestões da Brasilata atinge a marca histórica ao completar 25 anos.

Brasilata parceira FGV

Inventores autores da milionésima ideia

O Projeto Simplificação foi concebido em julho de 1987 com a intenção de criar um canal de comunicação entre os funcionários e as chefias. O propósito do sistema de sugestões da Brasilata é a melhoria do clima interno e o acúmulo gradual de conhecimentos com a participação do maior número possível de colaboradores. Ao contrário do que se possa imaginar o objetivo principal do sistema não é o aumento de produtividade, mas sim a criação de um ambiente capaz de produzir inovação de forma contínua, conhecido pela academia como Meio Inovador Interno.
Em 25 anos foram recebidas um milhão de idéias, a maioria muito simples, porém algumas produziram inovações importantes. Certamente o Meio Inovador Interno existente na Brasilata foi o diferencial que a tornou conhecida como uma das empresas mais inovadoras do país, apesar de atuar em um setor maduro como é a fabricação de latas de aço. Na Brasilata todos os empregados são contratados com a função inventiva e denominados inventores.

A milionésima ideia

Brasilata parceira FGV

Autores da milionésima ideia com o CEO Teixeira na festa de premiação do Projeto Simplificação, que aconteceu na Associação Atlética Brasilata de Goiás em 18.08.12

Uma ideia simples e criativa, concebida por 6 funcionários da unidade Rio Verde (GO) da Brasilata é a milionésima sugestão premiada no Projeto Simplificação. O nome da ideia bem sucedida – “Aumentar a quantidade de latas menores por pacote” permitiu o aumento da paletização nesse tipo de lata de aço, e gerou redução de custos em material de embalagem secundária, na despesa com frete, além de otimizar o espaço de armazenagem.
“A inovação verdadeira traz resultado para a organização. A inovação pode ser incremental e gerar pequenas melhorias que estimulam o ambiente inovador”, afirma o CEO da Brasilata, Antonio Carlos Teixeira Álvares, que também é professor e membro fundador do Fórum de Inovação da FGV-SP. “A Brasilata trabalha comprometida com a inovação contínua e esta meta mobiliza desde a alta diretoria até o auxiliar iniciante no chão de fábrica.”

A eficiência do Projeto Simplificação e o incentivo ao empreendedorismo interno tem despertado a atenção de universidades e de empresas. A Brasilata é um dos cases analisados pelo Fórum Inovação da FGV-SP, e atrai visitas técnicas por parte de diferentes organizações, inclusive do exterior. Entre os visitantes que vieram conhecer detalhes desta experiência, destacam-se os professores norte-americanos Alan G. Robinson (Universidade de Massachussets) e Dean M. Schroeder (Universidade Valparaíso), grandes especialistas em programas de sugestões.

Interesse acadêmico

O caso Brasilata merece a atenção da academia e é citado em livros que tratam da inovação e de como fomentá-la dentro da organização. Em “Organizações Inovadoras – estudos e casos brasileiros”, da FGV Editora, a Brasilata é analisada no capítulo 4. “O caso relatado mostra como essa empresa construiu ao longo do tempo um modelo de gestão apropriado para sustentar um meio inovador, capaz de gerar inovações em bases sistemáticas”, informa o professor José Carlos Barbieri, organizador da edição.

Em outro livro “Gestão de Idéias para inovação contínua”, da Bookman, um capítulo é dedicado ao Projeto Simplificação. A análise demonstra que “os sistemas de sugestões, quando conduzidos de modo adequado, contribuem positivamente para a geração de idéias, o envolvimento e a participação de todos no processo de inovação, na criação e no compartilhamento do conhecimento”, assinala o professor Marcos Augusto de Vasconcellos no prefácio da obra.

No best seller “Switch: How to change things when change is hard”, traduzido recentemente no Brasil como “A Guinada: Maneiras simples de operar grandes transformações”(Cultura), de autoria dos professores americanos Chip Heath e Dan Heath a Brasilata é citada como um exemplo de empresa que construiu uma nova e estimulante identidade ao motivar seus funcionários como inventores. “Nenhum dos empregados da Brasilata nasceu inventor. Esta identidade foi apresentada a eles, como um manto que valia vestir como uma fonte de orgulho e de força”, comentam os autores, ao pontuarem que “a Brasilata tem, de fato, uma das melhores reputações em inovação entre muitas companhias da América Latina.”

Sistema interno transparente 

A empresa brasileira apresentou, nos últimos anos, médias superiores às das companhias internacionais que adotam sistemas semelhantes. No decorrer de 2011, o Projeto Simplificação registrou o total de 137.223 sugestões. Esse resultado significa a média de 150 idéias por inventor em um ano, sugeridas entre seus 900 funcionários, contratados formalmente como inventores.

Os inventores dispõem de um sistema on line para apresentar idéias e conferir o andamento das sugestões. O acesso ao sistema é livre para qualquer funcionário, que pode navegar por suas telas para verificar o status das suas idéias; para enviar sugestões à equipe e para obter totalizações das idéias por área ou por unidade.

“O Projeto Simplificação revela a essência da Brasilata, todos somos responsáveis pela boa evolução da empresa e a recompensa é do time, e não apenas de um único inventor”, afirma o CEO da Brasilata. Pioneira na adoção da PLR desde 1991, quatro anos antes da obrigatoriedade legal, a Brasilata distribui 15% do seu lucro líquido, após a dedução de IR, de forma proporcional aos salários, para todos os seus 900 inventores empregados em 4 plantas industriais: São Paulo (SP), Estrela (RS), Rio Verde (GO) e Recife (PE).